A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

12/08/2017

Não Fazem Camisolas Pindéricas

12/08/2017 + 5 Comentários
POIS SÃO TÍTULOS CONQUISTADOS EM 1930, 1931 e 1935. POR ISSO NÃO CONSTAM. IGNORADOS. SE FOSSEM EM 2010, 2011 e 2015 ATÉ TINHAM LUZINHAS!



A conquista dos três campeonatos de Portugal apresentou um grau de dificuldade, em regra, superior às Taças de Portugal, pelo número de jogos e qualidade dos adversários. Nos anos 30 foram apurados os melhores clubes de Lisboa e do Porto bem como os campeões regionais das restantes associações. Então comparado com a Taça da Liga e a Supertaça (que nem título é para a FPF) eram de outra dimensão. Ignorar - ou tentar esconder do público Benfiquista e dos outros clubes que nos visitam - estas três conquistas é querer fazer dos adeptos do "Glorioso" uns imbecis. É querer mantê-los na ignorância (como se a maior parte deles deixasse!) E isso nunca conseguirão. Mas há explicação (tudo tem explicação desde que não seja ao acaso) para esta tentativa que se mantém desde 2013.


NÚMEROS DE JOGOS PARA O "GLORIOSO" CONQUISTAR TÍTULOS E TROFÉUS DE ÂMBITO NACIONAL
NOTA: * Em 1938/39 o Campeonato de Portugal continuou com a designação de Taça de Portugal e o Campeonato da I Liga como Campeonato Nacional da I Divisão (o Campeonato da II Liga como Campeonato Nacional da II Divisão); ** Continuação de competições anteriores com novas designações; *** A Supertaça não é um título, pois não é uma competição, mas apenas um jogo (ou mais se forem a duas mãos e resolvidas numa finalíssima) daí poder ser disputada fora do território português. As competições que outorgam títulos são obrigatoriamente disputadas em território português como a FPF tem definido no Relatório de competições (foi o argumento para não ter autorizado o SC Campomaiorense a disputar jornadas do campeonato nacional da I Divisão em Badajoz); **** As duas primeiras Supertaças conquistadas pelo Boavista FC (um jogo no estádio do FC Porto, em 1979/80) e SL Benfica (1980/81, em duas mãos) não são provas oficiais, pois foram organizadas pelos clubes. O Benfica no encontro da 1.ª mão, jogada "fora" (10 de Setembro de 1980) fez três substituições, o que não foi permitido pelos Regulamentos da FIFA/UEFA/FPF/AFL até 1994/1995. O primeiro jogo para uma competição oficial em que o Benfica fez três substituições foi em 26 de Agosto de 1995, na 2.ª jornada do campeonato nacional da I Divisão, na vitória por 1-0 frente ao FC Tirsense, em Santo Tirso. A Gloriosa História é tão "gloriosa" que ninguém a consegue enganar. Nem aqueles que se acham os maiores "pintarolas"!




As tristes figuras que se conseguem fazer... O que o dinheiro consegue! Eu tenho uma saca que pesa 10 quilogramas. Uma grama de ouro e 9999 grama de relva! 
NOTA ADICIONAL (às 12:40): A "sorte" de Germano foi já ter falecido. Aliás pelo que conheci dele nunca conseguiriam ludibriá-lo. Olhem Germano ali no meio com uma camisolinha com o número 8. A 12 de Luisão e do presidente. Mas eram OITO, melhor OITO a 12 de  VINTE: Olhem para esses oito: 2 para Taças dos Clubes Campeões Europeus, 2 para Taças de Portugal e 4 para campeonatos nacionais. Luisão foi obrigado a fazer de triste: 0 (zero) Taças dos Clubes Campeões Europeus, 6 campeonatos nacionais e 3 Taças de Portugal. Mas necessitou de 15 épocas (e esperamos que no final desta de 2017/18 acrescente aos vintinhos: 1 Liga dos Campeões, mais 1 campeonato nacional e mais 1 Taça de Portugal). Germano conseguiu aqueles oito (ou menos 12 que Luisão) em sete épocas. Tenham vergonha em expor os actuais futebolistas ao ridículo e ser ingratos para os que já estão no "Quarto Anel". Sejam mais Benfiquistas e menos negociantes de ilusões



Página 6 do fascículo da comunicação do delegado da A. F. do Algarve aprovada no Congresso da FPF como muito bem foi explicado em 1945 no jornal "A Bola"


Os Campeonatos de Portugal quando existiram eram o título máximo em Portugal. Deixaram de o ser porque assim foi decidido - equipará-los às Taças de Portugal - no Congresso do Futebol em 1938 que depois de aprovado foi vertido para o Regulamento das competições e publicado no Relatório da FPF em 1938/39. 



Quer a FPF quer os estudiosos do Futebol têm a documentação desse Congresso disponível (clicar apenas para as capas dos fascículos das comunicações apresentadas) pelo menos, na Biblioteca Nacional de Portugal, que fica no Campo Grande, n.º 83, em Lisboa - a 50 metros da saída norte da estação de «Entre Campos» do Metropolitano ou nas instalações da Federação Portuguesa de Futebol (talvez ainda na rua Alexandre Herculano, n.º 58, também em Lisboa, junto ao Largo do Rato). Em vez de passarem os dias na sorna ou a pensar em oferecer bilhetes a deusas do «Calor da Noite" aprendam a respeitar o passado das instituições onde enriquecem. E tomem posições claras. Se assumiram no portal que há apenas duas competições (clicar para os Nacionais) (clicar para as Taças de Portugal) e que ambas já tiveram nomes diferentes até 1937/38 assumam com uma nota de imprensa, em vez de deixar ao critério de cada um. E já agora corrijam porque o «Campeonato da I Liga» nunca se designou por Campeonato da Liga I Divisão. Apenas e só - por que chegava - «Campeonato da I Liga». Porque havia o «Campeonato da II Liga» que não era Campeonato da Liga II Divisão. Deixem de inventar. Como está escrito no Relatório da FPF está correcto. Como é óbvio.



É evidente que toda a Imprensa que assistiu ao Congresso soube o que se passou e como naquele tempo - até nisto Portugal ou o jornalismo regrediu - bastar ver os congressistas que apresentaram comunicações e então ao lê-las é que se percebe a degradação dos jornais em Portugal - por isso nessa época e temporadas seguintes todos informaram os seus leitores das alterações como já se mostrou neste blogue em 27 de Maio de 2017 (clicar).

No Benfica acha-se "engraçado" esconder as três conquistas nos painéis da "Catedral" e paredes interiores do estádio mas jamais os associados devem deixar que o Clube em momento algum seja ingrato para quem nos fez maiores em 1929/30, 1930/31 e 1934/35. Se há funcionários mal intencionados mas com Poder que não querem juntar os três Campeonatos de Portugal às Taças de Portugal (como foi decidido em 1938) NUNCA podem é fazer "desaparecer" essas três conquistas  e tentar esconder no presente o que foi conseguido no passado (clicar para ver as três conquistas). Laboriosamente. Sem esquemas. Como o tempo provou. Coloquem-nas à parte MAS TÊM DE ESTAR LÁ! Os associados/dirigentes do presente têm de respeitar os associados/dirigentes do passado.

Na "Catedral", nas paredes e na bancada têm de constar os três Campeonatos de Portugal (mesmo separados das 26 Taças de Portugal). Enquanto não o fizerem não passa de tentativa de vigarizar a Gloriosa História.

E isso jamais será conseguido. JAMAIS. E será denunciado. O número de vezes que for preciso.

Nem os "benfiquistas de circunstância" conseguirão enganar a História do Clube. Ela é pública e limpinha. Nos anos 30 andávamos sempre de cabeça levantada. Sem esquemas. Nem dirigentes assalariados de outros dirigentes (clicar). Acima do Benfica só havia o Céu Infinito.


Alberto Miguéns

NOTA1:É evidente que esconder a existência destes três títulos e não os juntar com a Taça de Portugal tem um propósito que percebi desde a instalação do Museu (1 de Agosto de 2012 a 26 de Julho de 2013, quando foi inaugurado). e que há Benfiquistas que sabem dessa minha preocupação desde esse "tempo". O objectivo é deixar margem para o Sporting CP (e o tempo deu-me razão) poder considerar o Campeonato de Portugal como Campeonato Nacional pois, à época, era considerado o título máximo. Só deixou de o ser devido ao Congresso da FPF, em 1938, que aprovou que as designações estavam incorrectas e corrigiu, embora tarde e a más horas, o que vinha errado desde 1922. Mas antes tarde que nunca. Eu avisei que o Benfica devia pedir à FPF (com o pretexto do Museu) que esclarecesse de uma vez por todas o assunto. Claro que o sportinguista António Ferreira, responsável pelo Museu, disse que não! Pois então! Era uma "não-decisão" que não interferia com os seus rendimentos. Recebe o mesmo salário e o seu SCP ficaria sempre com a porta aberta para tentar "papar" mais quatro Nacionais!

NOTA2: Já que não consegui no Benfica ofereço-me ao Sporting CP "de borla". Se Bruno de Carvalho quiser eu faço uma exposição detalhada à FPF em que mostro - com 30 ou 40 digitalizações de 5/6 jornais dessas épocas - que nesse tempo todos os jornais anunciavam como Campeão de Portugal ou chamando-lhe, mesmo, "Título Máximo" o vencedor do Campeonato de Portugal. Mesmo depois da existência dos quatro campeonatos da I Liga que, como é evidente, não se designavam por Nacionais, havendo depois da I e II Liga apurarem o vencedor, os jogos para o Campeonato de Portugal. É que assim a FPF tem de decidir, na resposta ao Sporting CP, se cumpre o que ela própria decidiu no Congresso em 1938 ou se revoga, em 2017, o artigo em questão. E depois quero ver que posição toma o Benfica! Já percebi que se tiver a sorte de Bruno de Carvalho aceitar - o que duvido - acabo por servir melhor o Benfica por via do SCP do que dentro do Benfica! É a vida!

NOTA3: Além de informar que brevemente (desde que vá ao estádio e continue a ver a ingratidão no painel) voltarei a este assunto com documentação comprometedora.... 

NOTA4 (regresso ao nobre Sporting Clube de Portugal): Como Ricardo Serrado já era, tenho via verde para poder fazer a dita exposição. De borla, dr. Bruno de Azevedo Carvalho, neto materno desse enorme Sportinguista, Eduardo de Azevedo. E como avisei neste blogue Ricardo Serrado quando saísse iria escrever uma cartinha a todo o Mundo Verde como fez quando saiu do "Glorioso".



NOTA5 (às 12:37, para ajudar a responder a um comentário): Antes de haver televisão, internet ou o Museu, por exemplo, o Benfica tinha uma comunicação mais limitada, mas correcta. Deixo um exemplo (o nosso semanário) mas hei-de colocar aqui outro exemplo (a Revista mensal, O Benfica Ilustrado)

5 comentários
comentários
  1. Mas é preciso o pretexto do Museu para pedir essa clarificação à FPF?
    Não pode ser pedida em qualquer altura, mobilizando os sócios nesse sentido, um abaixo assinado, sei lá, com essa proposta para a direcção do clube?
    Gostava de ver depois qual a resposta da Direcção.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro José Ramalhete

      1. A FPF é a situação limite. Devia ser numa assembleia geral mas estas deixaram de ser públicas. É praticamente uma reunião de condóminos à porta fechada. A Direcção ouve mas não quer saber da maior parte da opinião dos donos do clube, os associados. Aliás são pior que uma reunião de condóminos porque nestas quem está presente tem acesso às actas.

      2. Se os dirigentes eleitos não mostram interesse em assuntos do Clube deixando-se sobrepor pelo que querem os funcionários da SAD há outras vias para conseguir repor a gratidão para com três plantéis/dirigentes/associados. enquanto o Benfica for o Benfica.

      TETRAsaudações Gloriosas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  2. No novo site constam esses troféus: https://www.slbenfica.pt/pt-pt/slb/palmares

    Se estão a fazer alguma coisa, nada mais é que dar continuação ao que o clube já fazia. O que é que mudou especificamente desde 2013 em relação ao que se fazia em 2007, 1997, 1987, 1977, etc. na contabilização dos Campeonatos de Portugal?

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro

      1. Era o que mais havia de faltar não estarem referenciados. Foram os primeiros troféus em competições de âmbito nacional a entrarem (serem conquistados pelo Clube). Só se os deitassem fora!;

      2. Antes o Benfica não tinha as multiplataformas de comunicação que tem hoje. era tudo mais esporádico. quando se conquistavam troféus fazia-se referência que eram a continuação. Onde? No que havia. Relatórios, Jornal e O Benfica Ilustrado. Como já digitalizei algumas dessas publicações e mostrei neste blogue. Vou criar uma NOTA5 para lhe mostrar.

      3. Então se é assumido no portal porque é escondido no painel/friso do estádio e paredes interiores? Nunca questionou isso?

      Saudações Gloriosas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  3. Não há piolho que escape, ao pente fino do Miguéns !!!

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail