A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

30/11/2017

Sete e Meio IV: O Fim De Uma Era

30/11/2017 + 3 Comentários API
A GERAÇÃO ADULTA (E INFLUENTE) NO BICAMPEONATO EUROPEU ASSUME AS ÚLTIMAS RESPONSABILIDADES NO JORNAL.


Em meados dos anos 80 deixam de ter cargos no Jornal que passará por directores mais novos com projectos ambiciosos nem sempre correspondidos, mas isso fica para o próximo "Sete-e-meio". Vamos a este.

Paulino Gomes Júnior (IV)
O "director dos directores" regressa pela quarta vez para publicar 136 edições. Uma delas, o n.º 1532 (29 de Fevereiro de 1972) com 96 páginas. Aos mesmos 15 tostões (150) das "normais" 12 páginas.




Em 27 de Novembro de 1973 mais um exuberante número comemorativo do 31.º aniversário do semanário com uma "prenda": a mudança de visual da primeira página. E como sempre o "Benfica em marcha" com a permanente campanha - que vinha do início dos Anos 50 - para ampliação da Cidade Desportiva do SLB.






Barros Teixeira
O adjunto de Paulino Gomes Júnior decide, finalmente, assumir a direcção do jornal, em 4 de Junho de 1974, o que já acontecia na prática desde 1 de Janeiro de 1974. Foi responsável pela edição de 283 números e remodelou o visual do jornal, em 18 de Outubro de 1977 dando relevo à essência ecléctica do Clube. Foi com esse "cabeçalho" que comecei a ler com regularidade o Jornal.



Na comemoração do 75.º aniversário do Clube (28 de Fevereiro de 1979) um número especial dedicado à Gloriosa História. Para mim tem um significado especial - ainda guardo o exemplar bem mais amarelo e laranja que vermelho e branco - pois foi a sua leitura e ver embevecido as fotografias que me levou a interessar por conhecer os locais da viagem do Benfica pela cidade e como estavam esses locais ocupados em 1979. foi assim que descobri a Farmácia Franco e o café do Gonçalves (onde passei a ir todos os anos, em 28 de Fevereiro de cada um deles).



Como o patrão está a chamar para o trabalho fica a segunda parte para completar "dentro de momentos". Ou...quando «ele» permitir...

NOTA: A continuação está prevista para a meia-noite de 6 para 7 de Dezembro.

Luís Marques Batoque
A (84)

Mário Sérgio
A (8)

Afonso Coelho Pinto
A (46)

Boavida-Portugal
A (195)

Paulino Gomes Júnior (V)
A (54)

Terminou o sonho de uma geração vai começar o de outra...

Alberto Miguéns
Ler Mais ►

Sete e Meio III: O Paradoxo de "O Benfica" Sem Causas Nos Anos...60

+ 3 Comentários API
OS ANOS 60 FORAM PARA O CLUBE OS ANOS DOURADOS MAS PARA O JORNAL NEM TANTO. ANTES PELO CONTRÁRIO...

O jornal passou por dificuldades pois todos os outros jornais passaram a "fazer-de-ser do Benfica" tentando aproveitar a maré vermelha pelo facto do Benfica ter o melhor plantel de sempre e dar a Portugal (e a todos os portugueses) o melhor Clube da Europa e o segundo melhor do Mundo, quase igualando o Santos FC Pelé!

Paulino Gomes Júnior II
Ainda sob o signo do Mestre há uma mudança significativa no "cabeçalho" encetada já os anos 50 tinham dobrado a metade. Passou-se deste (com 209 números editados) para o seguinte (que seria rosto de 361 jornais):




Presidente Fezas Vital
A política do futebol bem como todo o envolvimento associativo "queimava". Para ninguém sair chamuscado o próprio presidente da Direcção assume a direcção de "O Benfica" durante 28 números sempre considerando-se interino. Também não havia outro modo de o ser...





Afonso Botelho
Finalmente um Benfiquista da confiança da Direcção do SLB assume a direcção do jornal durante quarenta edições. Quando mudou a Direcção (por vontade dos associados) mudou o director. Antes o editorial do Benfiquista Afonso Botelho. Hoje não acredito que haja algum benfiquista que consiga definir melhor o que é Ser Benfiquista (tendo sempre por referência o que era Portugal em plena Guerra Colonial) como ele tão bem escreveu. Uma lição para os benfiquistas das vitórias. Uma lição eterna. 


E foi ainda com Afonso Botelho que se publicou esta "sobremesa" com 48 páginas e cabeçalho para os próximos 30 números. Muito pouco para tanta qualidade gráfica.



Presidente Adolfo Vieira de Brito
E lá teve que ser novamente o presidente da Direcção a assumir a direcção do jornal, durante 28 edições. Tempo suficiente para alterar o cabeçalho!



Roman Navarro, o interino
Sem muita vontade - por obrigação Roman Navarro, que regressaria ao dirigismo com a presidência de Vale Azevedo - foi responsável, interino, pela publicação de nove escassos números.


Paulino Gomes Júnior (Parte III)
Pela terceira vez na direcção do Semanário este regressou aos anos 50 (o cabeçalho está bom de ver). Ao "seu" cabeçalho"! De Paulino Gomes Júnior!


Lourenço Gago
Eis outra grande figura da Oposição ao salazarismo na direcção do jornal do Clube. Impensável em plena Guerra Colonial. Que clube era este que parecia "escolher a dedo" figuras que não agradavam ao Regime. Joaquim Lourenço Gago estaria com José Magalhães Godinho na fundação do Partido Socialista, da Alemanha Ocidental, em 19 de Abril de 1973. Não acredita?! Clique para quem sabe do assunto.


Carlos Vieira de Carvalho
"Braço direito" do comendador Adolfo Vieira de Brito e um Benfiquista de elevado quilate que soube passar a texto muitas estórias e História do Clube. Um exemplo, a par de Mário de Oliveira e Rebelo da Silva, para quem gosta de Benficar com a Gloriosa História. Os 99 números seguintes foram por si superiormente dirigidos.

"O Benfica" e as suas gralhas. Não vive um sem as outras. É evidente que em 28 de Novembro de 1967 assinalou-se o 25.º aniversário (e não o 26.º!)

Baptista Rosa
O engenheiro Abreu Rocha não perdoava. Direcção e editor novo toca de regressar ao "cabeçalho" da Taça Latina. Em 1969 como se 1950 fosse ontem! Baptista Rosa vai ser um dos directores mais marcantes do Semanário estabilizando definitivamente a coerência do órgão de imprensa do Clube, interpretando a modernidade (embora não pareça) e lançando as raízes para os Anos 70. Foram 126 números editados. Com contenção de custos exigidos por essa figura única no dirigismo desportivo português. O senhor Marquês!

Quando se lê/vê estas páginas destes jornais e os nomes dos candidatos (mesmo derrotados) pelos associados nos actos eleitorais é que se percebe - em termos de Benfiquismo - como o Clube evoluiu para pior. E nem era o "Mundo Perfeito"! É cá uma diferença. Abysmal (Segundo as Normas Ortográficas anteriores a 1911)

Para se quantificar as dificuldades é só comparar. Até aos Anos 60 cinco directores editaram 1071 jornais. Para editar os 442 números seguintes houve...oito directores!

Continua lá pelas dez e meia onze e tal...


Alberto Miguéns
Ler Mais ►
29/11/2017

Aumento de «O Benfica» Para Um Euro e Não Se Fala Mais Nisso

29/11/2017 + 1 Comentários API
COMO O TAMANHO CONTA O JORNAL PODIA SOFRER UM LIGEIRO AUMENTO DE 15 CÊNTIMOS PASSANDO DE  0.85 PARA 1.00 EURO.
E fazer acrescentar mais quatro páginas, das actuais 32 para 36. Só, só mais quatro.


EVOLUÇÃO DOS PREÇOS DO JORNAL
Preço
Número
Data
N.º edições
$50
1
29.11.1942
110
$70
111
06.01.1945
124
1$00
235
24.05.1947
353
1$20
588
04.03.1954
707
1$50
1295
07.09.1967
265
2$00
1560
12.09.1972
68
2$50
1628
01.01.1974
53
3$00
1681
07.01.1975
51
4$00
1732
01.01.1976
94
6$00
1826
18.10.1977
48
7$50
1874
19.09.1978
55
10$00
1929
09.10.1979
62
12$50
1991
17.12-1980
61
15$00
2052
16.02.1982
4
20$00
2056
09.03.1982
116
25$00
2172
05.06.1984
74
30$00
2246
07.11.1985
82
40$00
2328
03.06.1987
44
50$00
2372
07.04.1988
126
70$00
2498
05.09.1990
83
80$00
2581
01.04.1992
35
100$00
2616
01.12.1992
126
120$00
2742
03.05.1995
209
500$00
2951
Maio.1999
15
150$00
2966
28.02.2001
44
0.75€
3010
02.01.2002
632
0.85€
3642
14.02.2014
198
NOTA: Entre o número 2951 e o 2965, "O Benfica" foi uma Revista Mensal

Depois do discurso de ontem - na exposição comemorativa do 75.º aniversário de "O Benfica" - em que o Luís até fez chorar as pedras da calçada reafirmando a importância do jornal no Futuro do "Glorioso" não parece difícil acrescentar mais quatro páginas pois 32 são escassas para acompanha o crescimento ecléctico e empresarial do SLB e o papel não é borracha que estique. Vá lá, um jornal com 36 páginas e não de fala mais nisso.

Alberto Miguéns

NOTA: Talvez com mais quatro páginas seja possível implementar a sugestão que em tempos dei para descruzar "O Benfica" que sai às sextas-feiras dos diários desportivos. Uma página por modalidade/equipa sénior com um rodapé com todos os resultados das equipas de formação dessa modalidade. No "corpo principal" colocar um campo com a disposição táctica da equipa bem como estatísticas do plantel ao longo da temporada. Não é por nada mas diferenciaria "O Benfica" dos tablóides: A Bola, Record e O JOGO.

Ler Mais ►
Em Defesa do Benfica no seu E-mail