A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

21/04/2017

Os Dois Primeiros Troféus Conquistados e Perdidos

21/04/2017 + 1 Comentários
HÁ 110 ANOS COSME DAMIÃO VOLTA A TER PROTAGONISMO COMO FUTEBOLISTA: ESTEVE QUASE A CRUZAR-SE COM O SPORTING CP E A EQUIPA DE QUE FAZIA PARTE GANHOU NO CAMPO PARA PERDER NUMA CASA DE PENHOR.



Este ano de 2017 é propício a evocar Cosme Damião (e evocá-lo é sempre mostrar a grandeza do Clube) foi passam onze décadas de vários acontecimentos em que ele esteve envolvido.
As excepções foram: em 28 de Fevereiro (mais três anos que os tais 110, 113 anos após a Fundação) como se observou (clicar); em 10 de Fevereiro de 1907 a vitória que nos fez «Gloriosos» (clicar); e em 17 de Março (mais um ano que os referidos 110, 111 anos após a sua estreia na primeira categoria) como se evocou (clicar).


Revisão da matéria dada
Cosme Damião estava na tarde do dia 28 de Fevereiro de 1904 em Belém (ainda era aluno da Casa Pia, embora já em regime de aprendizado fora dela desde 1 de Setembro de 1902) pois dos muitos pioneiros que se agrupavam à volta do Clube alguns viviam longe de Belém. Daí o número de 24 ser apenas um indicativo de mais de quatro dezenas, principalmente ex-alunos da Casa Pia que abraçavam os valores do Clube e que logo de início jogariam por ele. Cosme Damião não sendo escolhido para qualquer cargo não é citado em 1904/05. Depois faz parte do grupo da 2.ª categoria (reserva à primeira) e como é óbvio se até a 1.ª categoria é descrita em pequenos apontamentos na Imprensa a 2.ª praticamente é apenas acessória. Mas é como reservista desta, a "tapar" a falta de um titular que não pode estar presente no importante torneio, em 1905/06, que até vai ter direito a "retrato" embora só jogue neste dia regressando à segunda categoria.

A 1.ª categoria em 17 de Março de 1906. Participou no Primeiro Torneio inter-clubes devidamente organizado em Lisboa. Alinhados com as posições em campo. Em cima, os três médios ou meio-defesas (MD, MC e ME), dois defesas (DD e DE) e o guarda-redes (GR): António Couto (MC), Albano Santos (MD), Emílio Carvalho (DE), Manuel Móra (GR), Cosme Damião (DD) e Fortunato Levy (ME). Na frente, os três cinco avançados: Carlos França, António Rosa Rodrigues, Daniel Queirós dos Santos, Cândido Rosa Rodrigues e Silvestre Silva (cap.) Junto da equipa o árbitro inglês, futebolista do Carcavellos Club, H. HannourFotografia publicada na página 33, do volume I, da História do SL Benfica 1904-1954, de Mário de Oliveira e Rebelo da Silva; edição de autor; 1954

Primeiras conquistas e vitórias retumbantes
Os jogos de futebol eram esporádicos e raros, mas em 1906/07 tudo iria mudar para sempre. Os campeonatos deste século XXI são a evolução do primeiro em 1906/07. O único campeonato oficial era o da 1.ª categoria. Para a sua organização foi criada a "Liga de Football Association" presidida pelo comandante Joaquim Costa (do Internacional) tendo como secretário José Holteman Roquette (Alvalade) do Sporting CP. Inscreveram-se quatro clubes: Carcavellos Sports Club, Lisbon Cricket Club, da Cruz Quebrada (dois clubes exclusivos de ingleses); Clube Internacional de Futebol (os irmãos e primos da família Pinto Basto e amigos, alguns ingleses); e o Grupo Sport Lisboa (só com portugueses). Curiosamente José de Alvalade, apesar de secretário da LFA, não se atreveu a inscrever o Sporting CP. Com poucos jogos o Carcavellos Club ficou em primeiro e sagrou-se campeão. Depois o Sport Lisboa; em 3.º lugar os ingleses da Cruz Quebrada e em 4.º lugar o Internacional. Foi durante esta competição que o Sport Lisboa ganhou o nome de "Gloriosíssimo" depois de vencer, por 2-1, o Carcavellos Club, na Quinta Nova, em Carcavelos. Os ingleses estavam invictos há nove anos, desde 1898.

Meio Século de Futebol; Página 89; Júlio de Araújo; 1938; AFL; edição dactilografada encadernado como livro único

Os torneios do Internacional para as outras categorias

Com várias equipas de clubes com muitos jogadores, como o Sport Lisboa e o Internacional, e outros clubes com jogadores mas sem correrem riscos de sofrerem goleadas deixaram-nos de fora da LFA (por exemplo, o Sporting CP e o Football Cruz Negra). Assim, o Internacional, com campo próprio em Alcântara, decidiu organizar um torneio para a 2.ª e 3.ª categoria cujo prémio eram dois "Bronzes". O Sport Lisboa inscreveu as suas equipas de segunda e terceira categoria. A novidade foi o Sporting CP que ausente no campeonato da 1.ª categoria aparece, um ano depois de fundado, em competição.

A 2.ª categoria em 1906/07. Uma equipa fortíssima. Foi fundamental para responder à deserção de uma dezena e abandono forçado de três "Gloriosos" em Maio (Verão) de 1907. Foi inscrita como 1.ª categoria em 1907/08. De cima para baixo. Da esquerda para a direita. Alinhados com a táctica do jogo. Em cima, os dois defesas e o guarda-redes: Henrique Teixeira, João Persónio e José Netto; Ao centro, os cinco avançados: Félix Bermudes (cap.), Eduardo Corga, Leopoldo Mocho, António Meireles e Carlos França; Na frente, os três meio-defesas ou médios: Luís Vieira, Cosme Damião e Marcolino Bragança. Fotografia publicada na página 51, do volume I, da História do SL Benfica 1904-1954, de Mário de Oliveira e Rebelo da Silva; edição de autor; 1954



A 3.ª categoria em 1906/07. Com a deserção para o SCP em Maio de 1907 e a inscrição da 2.ª categoria de 1906/07 como 1.ª categoria em 1907/08, esta equipa passou a 2.ª categoria. De cima para baixo. Da esquerda para a direita. Alinhados com a táctica do jogo. Em cima,  os três médios: Carlos Cunha, Alberto Silva e António Costa; Ao meio, os cinco avançados: Jorge Rosa Rodrigues, Henrique Teixeira, Luís Rodrigues (cap.), Carlos Monteiro e Avelino Fontes; Na frente, os dois defesas e o guarda-redes: Luís Vieira, João Matos e Aires Martins. Fotografia digitalizada da página 50, do volume I, da História do SL Benfica 1904-1954, de Mário de Oliveira e Rebelo da Silva

Primeiros troféus conquistados há precisamente 110 anos
Cumpridos na tarde de hoje, onze décadas depois de 21 de Abril de 1907. E penhorados para todo o sempre (ou talvez não!) num dia de negação de um contínuo pouco escrupuloso.

Digitalizações de extractos das página 51 e 52, do volume I, da História do SL Benfica 1904-1954, de Mário de Oliveira e Rebelo da Silva; edição em fascículos; Lisboa; 1954; edição dos autores
Este ano de 2017 ainda tem Cosme Damião 110 anos neste blogue pelo menos evocado mais três vezes
Em Maio quando se dá a deserção dos melhores oito futebolistas e outros tantos associados para o Sporting CP e resposta de Marcolino Bragança: «Porque não "subir" a 2.ª categoria de 1906/07 a 1.ª para o campeonato de 1907/08;
Em Setembro quando Silvestre Silva se apresenta, perante o espanto de uns e o desespero de outros, no dia da inscrição no II campeonato, o de 1907/08;
Em 1 de Dezembro quando se realiza o primeiro jogo frente ao Sporting CP, praticamente com a mesma equipa que conquistou o bronze, em 21 de Abril de 1907, há precisamente onze décadas, penhorado uns anos depois.

Que no próximo sábado se cumpra o "Glorioso". Mais uma vez!

Alberto Miguéns
1 comentários
comentários
  1. E se um dia os bronzes aparecerem? Deve estar por aí, anónimos em alguma estante ou nalguma caixa num sótão perdido por essa cidade. Que mistério. Que lástima essa perda.

    Essa equipa da 2ª categoria tinha 4 fundadores e Félix Bermudes. Notável. Tantos quanto os 4 fundadores da 1ª categoria. Ou seja, não ficava a dever nada à primeira apesar de terem menos fama no meio. foram quase todos eles que nos deram a primeira vitória contra o SCP.

    Que Sábado seja mais um capítulo Glorioso da nossa história.

    Muito bom. Obrigado.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail