A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

28/03/2017

Aquilo Foi o CF "Os Belenenses"?

28/03/2017 + 3 Comentários API
SE FIQUEI CONTENTE COM O RESULTADO FRENTE AO CF “OS BELENENSES” O EQUIPAMENTO DO ADVERSÁRIO FEZ-ME PENSAR EM COMO NÃO SE DEVIA DESVIRTUAR O PASSADO EM JOGOS HISTÓRICOS.


Aquele "azul violeta" não é o do «velho e histórico» clube de Belém. Sempre me habituei ao “azul à Belenenses” desde que comecei a comprar cromos nos anos 60 e depois a ver o “Clássico de Lisboa” a partir dos Anos 60. Nestes encontros entre clubes que se defrontam há tantas temporadas devia de existir maior critério na definição dos equipamentos que as suas equipas de futebol. 



O “Clássico de Lisboa” é o terceiro jogo (ver NOTA FINAL para a excepção Madeira/Funchal) com mais história em Portugal.



Um inapropriado equipamento com azul à Porto (mais escuro) em vez do histórico azul à Belenenses!



O Benfica é o único que nunca mudou
Se entendermos os equipamentos como o conjunto "camisola e calção" o Benfica é o único que nunca alterou. Mantém a camisola vermelha e o calção branco desde a primeira temporada em 1904/05. O Sporting CP alterou a camisola da branca (1907/08), para bipartida verde-e-branca (depois de 19o8/09) e finalmente às riscas horizontais verde-e-brancas (desde 1927/28). Entretanto alteraram os calções de branco para preto entre a temporada de 1913/14 e 1914/15. O FC Porto teve um início atribulado quanto ao equipamento, em 1906, depois os Estatutos obrigaram os calções a serem pretos e finalmente em 1923, com a criação do novo emblema (com o brasão da cidade sobreposto à bola azul) os calções passaram a azuis. Mas azul à Porto (mais escuro) que o azul à Belenenses! A evolução do equipamento do CF "Os Belenenses" deixo-a para depois dos quadros resumo com três dos quatro jogos mais vezes realizados em Portugal (Continental).



JOGOS COM MAIS HISTÓRIA EM PORTUGAL (CONTINENTAL)


As diferenças no Dérbi de Lisboa
Nos totais o que se espera. Em 425 jogos, mais 15 vitórias (177/162) e mais 27 golos (711/684). A grandeza pode medir-se. Mesmo a caminho de um jogo com 110 anos (1 de Dezembro de 1907-2017).

JOGOS TOTAIS POR COMPETIÇÃO com Sporting CP
Competição
Títulos e
Troféus
J
V
E
D
GM
GS
TOTAIS*
SLB
SCP
425
177
86
162
711
684
Campeonato Nacional
35 (+17)
18
165
78
41
46
285
224
Taça de Portugal
28 (+ 8)
20
41
17
3
21
72
85
Supertaça
6
(+ 2)
5
1
1
3
4
8
Taça da Liga
(+ 7)
-
3
2
1
-
7
3
Campeonato Regional
10
18 (+ 8)
83
31
15
37
138
140
Taça Honra Lisboa
18 (+ 5)
13
29
13
4
12
42
39
Torneios**
-
-
46
13
10
23
67
78
Particulares
-
-
53
22
11
20
96
107
NOTAS: *Mais três vitórias do "Glorioso" por falta de comparência do Sporting CP; ** Inclui torneios oficiais organizados pela AFL (Taça da AFL, por exemplo) e pela FPF (Taça da Federação em 1976/77, por exemplo)


As diferenças no “Clássico de Lisboa”
Em 330 jogos, mais 104 vitórias (187 triunfos, contra 83 derrotas e 60 empates) e mais 235 golos (682 marcados e 447 consentidos).

  JOGOS TOTAIS POR COMPETIÇÃO com CF "Os Belenenses"
Competição
Títulos e
Troféus
J
V
E
D
GM
GS
TOTAIS
SLB
CF”B”
330
187
60
83
682
447
Campeonato Nacional
35 (+34)
1
152
92
31
29
302
147
Taça de Portugal
28 (+ 22)
6
32
20
  2
10
75
42
Taça da Liga
(+ 7)
-
1
1
-
-
1
0
Supertaça
(+ 6)
-
2
2
-
-
4
0
Taça da F.P.F.
-
-
1
1
-
-
2
1
Campeonato Regional
10 (+ 4)
6
56
24
13
19
111
118
Taça Honra Lisboa
18 (+ 12)
6
23
14
  4
  5
43
25
Taça AFL
(+ 1)
-
1
-
-
  1
1
4
Torneio Preparação AFL
(+ 1)
2
8
3
  1
  4
17
19
Torneios
-
-
24
13
 3
  8
47
39
Particulares
-
-
30
17
 6
 7
79
52


As diferenças no “Clássico de Portugal”
Em 286 jogos, mais seis vitórias (112 triunfos, contra 106 derrotas e 68 empates) e mais 94 golos (526 marcados e 432 consentidos).

JOGOS TOTAIS POR COMPETIÇÃO com Sporting CP
Competição
Títulos e
Troféus
J
V
E
D
GM
GS
TOTAIS*
SLB
FCP
286
112
68
106
526
432
Campeonato Nacional
35 (+8)
27
165
55
45
65
261
246
Taça de Portugal
28 (+ 8)
20
42
24
5
13
91
60
Supertaça
6
20 (+ 14)
25
5
7
13
16
33
Taça da Liga
(+ 7)
-
3
2
1
-
6
2
Torneios *
-
-
9
7
1
1
32
17
Particulares **
-
-
42
19
9
14
120
74
NOTAS: * Inclui a inauguração do campo da Constituição (1912); inclui a inauguração de dois estádios: Antas (1952) e Luz (1954)


O CF "Os Belenenses" é um Histórico
Por isso merece equipar frente ao SL Benfica com o azul de Artur José Pereira, Pepe, Amaro, Augusto Silva, Matateu e heróis de tantas tardes de glória.

Artur José Pereira, José Manuel Soares (Pepe) e Mariano Amaro

A grande mudança ocorreu nos calções
Que de pretos até 1937 passaram a brancos e mais tarde a azuis. Embola pelo que me dizem Estatutariamente devam ser brancos. O CF "Os Belenenses" é um dos melhores clubes portugueses. No Futebol e eclectismo.





Três épocas inéditas: 1909/10, 1913/14 e 1915/16
O SL Benfica foi o único clube, entre 1908/09 e 1947/48, ou seja durante 40 temporadas (23 com quatro categorias - 1911/12 a 1933/34 - e as restantes 17 com três categorias) que conquistou a totalidade dos títulos: 1909/10 (três títulos de campeão regional) e 1913/14 e 1915/16 (ambas com quatro títulos de campeão regional). O Sporting CP viria a obter uma proeza idêntica, mas já com a competição reduzida a três categorias, em 1934/35. Inolvidável e inigualável "Glorioso". Três vezes a fazer o pleno!

O Benfica dominou o futebol lisbonense e português até final da década de dez do século XX
O sucesso do futebol Benfiquista durante as duas primeiras décadas da existência do Clube deveu-se à sapiência e apego de Cosme Damião na organização do futebol, essencialmente a partir de 1 de Maio de 1909 quando é nomeado pelos dirigentes eleitos em 26 de Fevereiro de 1909, como "capitão-geral"! Muito por acção do vice-presidente Alfredo Alexandre Luís da Silva com óbvio consentimento do presidente João José Pires. Por ser um director (Alfredo Silva) com a responsabilidade de "orientação do futebol" delegando em Cosme Damião proveniente do Sport Lisboa. Apesar de Cosme Damião ser associado dos dois clubes: fundador do Sport Lisboa em 28 de Fevereiro de 1904 e associado n.º 81 do Sport Benfica, aprovado em 27 de Outubro de 1907. É bom recordar que fazia parte do acordo de junção (artigo n.º 2) aprovado em reunião conjunta a 2 de Setembro de 1908, os dois clubes não perderem a sua individualidade. Ou seja, no Sport Lisboa e Benfica, o Sport Lisboa mantinha o "controle" do futebol e o Sport Benfica "controlava" a estratégia directiva: abrangência social, infraestruturas e desenvolvimento desportivo no pedestrianismo (atletismo) e velocipedia (ciclismo), o depois denominado eclectismo desportivo.

Cosme Damião e a estrutura vertical dinâmica
O nosso "mais que tudo" depressa implantou no Clube uma estrutura vencedora baseada na competência e apego clubístico dos futebolistas. Estes iniciavam-se nas categorias inferiores e ascenderiam à imediatamente superior quando revelassem apetência para tal - boa condição física, melhoria da técnica individual, boa interpretação táctica dentro do colectivo, pontualidade, treinamentos, resposta às necessidades, integração no espírito colectivo da equipa e Benfiquismo. E foi assim que se foram criando várias categorias.

Estreias das categorias
Categoria
1.ª
2.ª
3.ª
4.ª
Época
1904/05
1904/05
1906/07
1909/10
Data
1 Janeiro
19 Fevereiro
3 Fevereiro
14 Novembro
Resultado
V 1-0
V 1-0
V 3-0
V 1-0
Adversário
Grupo do Campo de Ourique
Grupo do Campo de Ourique
Internacional (CIF)
Sport Grupo Palhavã
(1.ª categoria)

Pensar o futebol honrando os ases que honraram o passado do Clube
Tal como havia ascensão também se fazia a "descida" dentro da estrutura das várias equipas (categorias). Geralmente por questões físicas (idade) mas também por falta de treino, devido a uma menor disponibilidade para o futebol devido a afazeres pessoais (vida familiar) e profissional (emprego). Mas Cosme Damião continuava a dar-lhes toda a importância, pois percebia que ter em coexistência nas categorias "inferiores" futebolistas veteranos multi-campeões com futebolistas jovens a iniciar-se no desporto era dar-lhes uma "injecção de Benfiquismo" para toda a vida. E a responsabilidade de continuarem a vencer e conquistar honrando os veteranos. Como depois Félix Bermudes (um bom exemplo de quem ascendeu até à 1.ª categoria e depois "desceu" até à 3.ª categoria) verteu para a letra do Hino de 1929: "Honrai agora os ases que nos honraram o passado"! É que nessas categorias (que para Cosme Damião não eram "inferiores", porque formavam um todo) jogavam veteranos com mais de 40 anos e jovens com pouco mais de 10 quase com idade, nesse tempo, para serem seus netos.

CAMPEÕES REGIONAIS DE LISBOA (1906/07 - 1918/19)
Época
1.ª categoria
2.ª categoria
3.ª categoria
4.ª categoria
Campeão
SLB
Campeão
SLB
Campeão
SLB
Campeão
SLB
1906/07
Carcavellos
2.º
-----------
-----------
-----------
1907/08
Carcavellos
3.º
-----------
-----------
-----------
1908/09
Carcavellos
2.º
Internacional
3.º
CS Império
3.º
-----------
1909/10
SL Benfica
SL Benfica
SL Benfica
-----------
1910/11
Internacional
2.º
SL Benfica
SL Benfica
-----------
1911/12
SL Benfica
GS Cruz Quebrada
3.º
SL Benfica
Sporting CP
4.º
1912/13
SL Benfica
SL Benfica
SL Benfica
Sporting CP
3.º
1913/14
SL Benfica
SL Benfica
SL Benfica
SL Benfica
1914/15
Sporting CP
2.º
SL Benfica
SL Benfica
SL Benfica
1915/16
SL Benfica
SL Benfica
SL Benfica
SL Benfica
1916/17
SL Benfica
Vitória FC Setúbal
2.º
SL Benfica
SL Benfica
1917/18
SL Benfica
SL Benfica
GD Fábrica Seixas
2.º
GF Benfica
2.º
1918/19
Sporting CP
2.º
SL Benfica
SL Benfica
SL Benfica
TOTAIS
7 em 13
54 %
8 em 11
73 %
9 em 11
82 %
5 em 8
63 %
NOTAS: Em 1908/09 o campeonato da 3.ª categoria foi organizado pelo SC Império com autorização da Liga Portugueza de Futebol; Em 1917/18  e 1919/20 na 3.ª categoria o SLB classificou-se em 2.º lugar na série 1 e não foi apurado para a final entre os vencedores das séries 1 e 2; Em 1919/20 o SLB na 4.ª categoria classificou-se em 3.º lugar na série 1 e não disputou a final entre os vencedores das séries 1 e 2

O Benfica deixa de dominar o futebol lisbonense
A matriz do Benfica implantada por Cosme Damião logo nos primeiros anos, refinada na década de 10 do século XX deixara de funcionar sem que ele se apercebesse. Pelo menos da dimensão. A fundação do Casa Pia AC, em 3 de Julho de 1920, retirara muitos futebolistas ao Clube nas várias categorias. A base do Casa Pia AC campeão regional em 1920/21 era o Benfica de 1919/20, ou seja, o Benfica tinha tudo para conquistar um Bicampeonato (pelo menos…). Um ano antes tinha sido fundado o CF “Os Belenenses” (23 de Setembro de 1919) mas não causara mossa de imediato (o SLB nessa temporada até retirou o título ao Sporting CP que foi mais afectado pela fundação do emblema da Cruz de Cristo). Mas a curto prazo, juntando-se aos efeitos da criação do Casa Pia AC foi devastador. O SLB perdera os dois locais tradicionais de rejuvenescimento e fortalecimento do Glorioso Futebol. A Casa Pia de Lisboa e o bairro de Belém. 
O "Glorioso" iria fazer uma terrível "travessia do deserto" pois conquistando o 8.º campeonato regional em 1919/20 (o primeiro em 1909/10) apenas em 1932/33, após doze temporadas com sucessivos insucessos voltaria a ser Campeão Regional. Pelo meio (em 8 de Agosto de 1926) registou-se o afastamento de Cosme Damião (clicar) para quem quiser saber o que se passou nesse Dia da Coragem Benfiquista. As percentagens no quadro seguinte - se comparadas com as do quadro anterior - ilustram bem como o Benfica sofreu grande desgaste na década de 20.

CAMPEÕES REGIONAIS DE LISBOA (1919/20 - 1924/25)
Época
1.ª categoria
2.ª categoria
3.ª categoria
4.ª categoria
Campeão
SLB
Campeão
SLB
Campeão
SLB
Campeão
SLB
1919/20
SL Benfica
SL Benfica
União F Lisboa
2.º
GF Benfica
3.º
1920/21
Casa Pia AC
4.º
SL Benfica
SL Benfica
GF Benfica
2.º
1921/22
Sporting CP
2.º
Vitória FC Setúbal
2.º
SL Benfica
Carcavelinhos FC
2.º
1922/23
Sporting CP
3.º
CF "Os Belenenses
4.º
União F Lisboa
2.º
SL Benfica
1923/24
Vitória FC Setúbal
3.º
Carcavelinhos FC
2.º
Sporting CP
3.º
CF "Os Belenenses"
2.º
1924/25
Sporting CP
3.º
Carcavelinhos FC
2.º
Império LC
3.º
SL Benfica
TOTAIS
1 em 6
33 %
2 em 6
33 %
2 em 6
33 %
2 em 6
33 %
NOTAS: Em 1921/22 o SLB, na 1.ª categoria, classificou-se em 2.º lugar na Divisão e não disputou o título de campeão; Em 1923/24 na 3.ª e 4.ª categoria o Benfica não se classificou em primeiro lugar na sua série por isso não disputou a final frente ao vencedor da outra série

Os propósitos iniciais não tiveram sucesso (parte I)
A fundação do CF "Os Belenenses" tinha como alvo conseguir três objectivos:
1. O popular e buliçoso bairro de Belém ter um clube que tivesse campo de jogos no bairro e representasse os habitantes, os belenenses;
2. Agrupar os diversos futebolistas naturais ou que cresceram em Belém e andavam dispersos por vários clubes de Lisboa com destaque para o SL Benfica (tradição que vinha da fundação do "Glorioso" na Farmácia Franco, localizada no bairro;
3. Aproveitar o "viveiro" de futebolistas que davam boa fama ao bairro.
É por aqui que o projecto do CF "Os Belenenses" como clube do bairro começa a ruir pois a fama dos futebolistas de Belém serem jogadores de gabarito era mais lenda (nos anos 20) que realidade. Realmente nos anos 90 do século XIX (com os casapianos) e depois nas duas décadas inicias do século XX isso tinha sido realidade, devido ao facto dos jogos em Lisboa (desde a inauguração da Praça de Touros do Campo Pequeno, em 1892) se realizarem quase todos em Belém (nas Terras do Desembargador, às Salésias) e isso ser motivo para a miudagem praticar o jogo por estar familiarizada com ele (vê-lo jogar). 



Ao contrário do que querem fazer crer
O SL Benfica não foi prejudicado - no imediato - e pouco sofreu - no futuro - com a fundação do CF "Os Belenenses". É verdade que perdeu associados - pois muitos eram de Belém (o SLB jogava em Benfica, nas traseiras da Sede na avenida Gomes Pereira) - mas futebolistas perdeu quatro (apenas um da 1.ª categoria e já veterano, Carlos Sobral). O clube mais "prejudicado" no imediato (em 1919/20) até foi o Sporting CP que perdeu uma dezena de futebolistas, incluindo três dos seus melhores jogadores: Mário Duarte (guarda-redes), Artur José Pereira (médio-centro e considerado o melhor futebolista de sempre até aos anos 20 mas em 1919 já veterano) e Alberto Rio (extremo-esquerdo que seria o primeiro internacional do clube  ao ser seleccionado para a II selecção nacional, em 1922). O SCP campeão regional em 1918/19 perdeu o título para o "Glorioso" na primeira época de actividade do clube de Belém. Mesmo que o CF "Os Belenenses" não fosse fundado é provável que o perdesse, mas assim ficou mais fácil para o Benfica!

Os propósitos iniciais não tiveram sucesso (parte II)
O clube que se pensava ser um emblema para conquistas ao nível da 1.ª categoria revelou-se muito débil. Numa primeira fase justificou-se com a veterania dos principais futebolistas mas depois percebeu-se que o problema era estrutural. Nas primeiras seis temporadas do clube, em 24 títulos (seis para cada quatro categorias) apenas o Regional da 2.ª categoria em 1922/23 e o da 4.ª categoria (1923/24). Embora não seja bem assim pois o CF "Os Belenenses" só em 1921/22 e épocas seguintes conseguiu reunir número suficiente de futebolistas para participar nos quatro campeonatos! Afinal o bairro não "produzia" assim tantos jogadores para um desporto que é jogado por onze elementos. Querer apenas belenenses no CF "Os Belenenses" provocava desequilíbrios sem solução. Foi preciso fazer o que todos os outros clubes faziam. "Recrutar" onde quer que houvesse futebolistas que preenchessem cabalmente os lugares de maior fragilidade da equipa de uma época para a outra. Todos menos o Benfica pois para Cosme Damião um clube glorioso não andava atrás de jogadores. Estes é que deviam de andar atrás do "Glorioso"!  


CAMPEÕES REGIONAIS DE LISBOA (1919/20 - 1924/25)
Época
1.ª categoria
2.ª categoria
3.ª categoria
4.ª categoria
Campeão
SLB
Campeão
SLB
Campeão
SLB
Campeão
SLB
1919/20
SL Benfica
SL Benfica
União F Lisboa
2.º
GF Benfica
3.º
1920/21
Casa Pia AC
4.º
SL Benfica
SL Benfica
GF Benfica
2.º
1921/22
Sporting CP
2.º
Vitória FC Setúbal
2.º
SL Benfica
Carcavelinhos FC
2.º
1922/23
Sporting CP
3.º
CF "Os Belenenses
4.º
União F Lisboa
2.º
SL Benfica
1923/24
Vitória FC Setúbal
3.º
Carcavelinhos FC
2.º
Sporting CP
3.º
CF "Os Belenenses"
2.º
1924/25
Sporting CP
3.º
Carcavelinhos FC
2.º
Império LC
3.º
SL Benfica
TOTAIS
1 em 6
33 %
2 em 6
33 %
2 em 6
33 %
2 em 6
33 %
NOTA: Até 22 de Dezembro de 1926 a Margem Sul do Tejo, entre o rio Tejo e o rio Sado pertenciam ao distrito de Lisboa, por isso o Vitória FC Setúbal, bem como todos os clubes dessa região, estavam filiados na Associação de Futebol de Lisboa (AFL), por isso jogavam no campeonato de Lisboa. A AF de Setúbal foi fundada em 5 de Maio de 1927


Recordista de jogos pela selecção nacional, entre 18 de Março de 1934 e 14 de Maio de 1950 quando o nosso "capitão" Chico Ferreira acabou com a "maldição" de ninguém - Valdemar Mota (FCP) em 1936 e Pinga (FCP) em 1942 - ultrapassar os 21 jogos, conseguindo a 22.ª internacionalização. Chegaria às 25 (1951) que só seriam ultrapassadas por Travaços (SCP) em 19 de Dezembro de 1954 ao conseguir a 26.ª. Terminaria com 35.

RECORDISTAS DE INTERNACIONALIZAÇÕES APÓS JORGE VIEIRA E ANTES DOS "MAGRIÇOS" DE 1966 PULVERIZAREM ESTES VALORES


O "GLORIOSO" NAS CONQUISTAS DO CF "OS BELENENSES"

Curiosamente seria um belenense a “resgatar” a grandeza do clube
A primeira grande aquisição do CF “Os Belenenses” foi Augusto Silva vindo do Império LC mas seria Pepe que nasceu em 30 de Janeiro de 1908 no local onde, vinte anos depois, o clube construiu o estádio das Salésias. Em 29 de Janeiro de 1928 (no dia anterior ao seu 20.º aniversário) passou a viver a dez metros do campo que depois teria o seu nome José Manuel Soares. Estreou-se na principal equipa, em 28 de Fevereiro de 1926, no nosso estádio das Amoreiras, num jogo difícil para o “Glorioso” em que depois de estarmos a vencer por 4-2 (aos 68 minutos) perdemos, por 4-5, com Pepe a marcar aos 88 minutos o resultado final numa grande penalidade. Este jogo está aldrabado no portal zerozero e num livro do jornal “Record” (ver NOTA FINAL 3). Devido a ter tentado, inutilmente, conseguir em minha casa documentos - jornais da época - que desmascarem esta trapaça não tive tempo de reler o texto. Não garanto que faltem letras nalgumas palavras ou que algumas estejam trocadas. Prometo pela tarde de hoje "enxugar" o texto!

Pepe foi o maestro goleador que permitiu organizar sucessivas grandes equipas que conquistaram três campeonatos regionais (1925/26, 1928/29 e 1929/30) bem como duas Taças de Portugal, quando ainda se designava Campeonato de Portugal, em 1926/27 e 1928/29. Faleceria tragicamente, aos 23 anos, por envenenamento alimentar, em 24 de Outubro de 1931.

CAMPEÕES REGIONAIS DE LISBOA (1925/26 – 1933/34)
Época
1.ª categoria
2.ª categoria
3.ª categoria
4.ª categoria
Campeão
SLB
Campeão
SLB
Campeão
SLB
Campeão
SLB
1925/26
CF "Os Belenenses"
5.º
Vitória FC Setúbal
2.º
SL Benfica
Carcavelinhos FC
2.º
1926/27
Vitória FC Setúbal
5.º
SL Benfica
CF "Os Belenenses"
3.º
Carcavelinhos FC
3.º
1927/28
Sporting CP
2.º
Carcavelinhos FC
3.º
SL Benfica
Casa Pia AC
2.º
1928/29
CF "Os Belenenses"
2.º
SL Benfica
SL Benfica
Casa Pia AC
5.º
1929/30
CF "Os Belenenses"
2.º
CF "Os Belenenses"
2.º
CF "Os Belenenses"
2.º
SL Benfica
1930/31
Sporting CP
5.º
SL Benfica
CF "Os Belenenses"
2.º
Sporting CP
3.º
1931/32
CF "Os Belenenses"
3.º
CF "Os Belenenses"
4.º
SL Benfica
União F Lisboa
6.º
1932/33
SL Benfica
CF "Os Belenenses"
3.º
SL Benfica
União F Lisboa
3.º
1933/34
Sporting CP
6.º
CF "Os Belenenses"
6.º
Carcavelinhos FC
5.º
União F Lisboa
7.º
TOTAIS
1 em 9
11 %
3 em 9
33 %
5 em 9
56 %
1 em 9
11 %

NOTAS:A partir de 1928/29 os campeonatos passam a ter nova designação: 1.ª categoria/Honra, 1.ª categoria/Reserva, 2.ª categoria e 3.ª categoria; Entre 1921/22 e 1925/26 (cinco temporadas) apenas os campeões regionais eram apurados para o Campeonato de Portugal. Depois seguiram-se "quotas" por cada Associação Regional até à criação do Campeonato da I Liga em 1934/35

A segunda metade da década de 20
Em 1925/26 o CF "Os Belenenses" sagrou-se pela primeira vez campeão de Lisboa, na sétima época em competição, com o "Glorioso" a classificar-se em 5.º lugar, com 30 pontos, mas apenas a quatro pontos do campeão, com 34 pontos!


Em 1926/27  conquistou a Taça de Portugal (ainda designada campeonato de Portugal) após eliminar, por 2-0 (após prolongamento), no estádio do Lumiar, o "Glorioso" nas meias-finais. Na final (estádio do Lumiar, que lhe estava alugado!) venceu, por 3-0, o Vitória FC Setúbal, campeão de Lisboa. No campeonato regional o CF "Os Belenenses" foi segundo classificado (a três pontos do Vitória FC Setúbal) e o SL Benfica foi 5.º classificado a dez pontos do campeão.


Em 1928/29 o clube de Belém fez o pleno. Conquistou o Regional com 37 pontos, mais dois que o "Glorioso" (2.º classificado). Na final do Campeonato de Portugal, venceu por 2-1. o União Futebol de Lisboa (que depois seria um dos clubes que daria origem ao Atlético CP) no campo de Palhavã. O SLB foi eliminado nos oitavos-de-final pelo...CF "Os Belenenses", por 2-3, no Campo Grande, terreno alugado pelo Sporting CP.


Em 1929/30 o CF "Os Belenenses" conquistou o terceiro título de campeão regional em cinco temporadas (1925/26 a 1929/30) quando tinha estado seis (1919/20 a 1924/25) sem qualquer título. Sagrou-se campeão com 38 pontos, mais três que o 2.º classificado...o SL Benfica!


Um "miúdo" em idade um gigante (com bola) em genialidade para o futebol. PEPE!

Anos 30
Em 1931/32 o clube da "Cruz de Cristo" conquista o quarto regional em sete edições mostrando que a morte de Pepe tinha colocado o clube de luto (daí os fumos pretos) na fotografia da equipa que se sagrou campeã regional após falta de comparência do Sporting CP, na finalíssima agendada para depois do Campeonato de Portugal, pois ambos terminaram no primeiro lugar em igualdade pontual. Uma atitude inqualificável do SCP. Por temer ser goleado pois na eliminatória do Campeonato de Portugal o clube de Belém depois de vencer no estádio do Campo Grande/28 de Maio (6-0) voltou a deslumbrar no estádio das Salésias (9-0). O "Glorioso" classificou-se em 3.º lugar a três pontos do duo da frente.


Em 1932/33 no campeonato regional foi necessário realizar, novamente, uma finalíssima, desta vez entre o SL Benfica e o CF "Os Belenenses" pois ambos terminaram a fase final com 39 pontos. O Benfica, ao contrário do SCP na temporada anterior, compareceu. O CF "Os Belenenses" era favorito. Tinha um poder temível, com quatro "internacionais". O capitão da selecção - Augusto Silva, João Belo, César e Matos e José Luís. Um meio-campo de luxo. O SLB tinha dois "internacionais": Luís Xavier e Vítor Silva. Esse dia é um dos mais memoráveis do "Glorioso": 18 de Maio de 1933. O CF "Os Belenenses" além de dobrar em internacionais ainda tinha num passado recente pergaminhos de luxo. Quatro vezes campeão regional, entre 1925/26 e 1931/32, sete temporadas. O SLB não era campeão regional desde...1919/20. Os dois emblemas tinham conquistado dois campeonatos de Portugal, com o Benfica a consegui-lo em 1929/30 e 1930/31. Foi o Dia da Mística. O treinador Ribeiro dos Reis disse e escreveu-o: Só a Mística do Benfica pode conseguir, após 12 temporadas de insucesso, vergar uma equipa tão poderosa! 13 de Maio de 1933. Podemos dizer que foi nesse dia que surgir na plenitude aquilo que se conhecia. A Gloriosa Mística podia ser o motor para se conquistarem títulos que se julgam impossíveis. No campeonato de Portugal o Benfica foi eliminado pelo FC Porto (quartos-de-final) e o CF "Os Belenenses" (mesmo com Augusto Silva impedido de jogar) derrotou, por 3-1, o Sporting CP, no estádio do Lumiar. 




Anos 40
Em 1941/42 depois do 3.º lugar no campeonato regional, com 21 pontos, a quatro do Benfica (2.º classificado) e do 3.º lugar no Campeonato Nacional a oito pontos do Campeão Nacional (SL BENFICA) na Taça de Portugal, o CF "Os Belenenses" conquistam o troféu, após vencerem por 2-0, o Vitória SC Guimarães, no Estádio do Lumiar, em Lisboa. O "Glorioso" foi eliminado nos quartos-de-final pelo Sporting CP. O CF "Os Belenenses" prescindiu de jogar a final da Taça de Portugal no seu estádio - onde era tradição ser disputada - ao contrário do Sporting CP que a disputou (e venceu por 3-1) - frente ao SL Benfica, no seu campo do Lumiar, em 1937/38.


Em 1943/44 depois de dez campeonatos regionais consecutivos sem alcançar o título o CF "Os Belenenses" voltou a reunir um conjunto notável de futebolistas. Sagraram-se campeões de Lisboa com 28 pontos, mais dois que o "Glorioso" (em 2.º lugar). No Campeonato Nacional o clube de Belém esteve desastrado (6.º lugar com 21 pontos, a dez do campeão Sporting CP). O Benfica foi 2.º classificado com 26 pontos. Na Taça de Portugal, o Benfica afastou, nos quartos-de-final o clube belenense, após dupla vitória (2-1, no estádio das Salésias e 8-2, no nosso Campo Grande). Na final (Salésias) ainda hoje é recorde de golos: V 8-0 com o GD Estoril Praia, com cinco golos de Rogério Lantres de Carvalho. 


Em 1945/46 depois de conquistar o Regional, com o SLB em 4.º lugar, com 20 pontos, a seis do campeão, o CF "Os Belenenses" conquista o único título de Campeão Nacional, com 38 pontos, apenas mais um que o Benfica. Um campeonato de 22 jornadas, perdido na 19.ª ronda, quando o "Glorioso" foi derrotado, por 0-1, no estádio das Salésias, pelo CF "Os Belenenses".



O CF "Os Belenenses" consegue recuperar na década de 40, mas fica-se por aí
Em 1946/47 passou a existir um quadro competitivo fechado - com promoções e despromoções - deixando os clubes de serem apurados para o campeonato da I Liga/ Nacional da I Divisão e II Liga/ Nacional da II Divisão pelos campeonatos Regionais.

CAMPEÕES REGIONAIS DE LISBOA (1934/35 – 1946/47)
Época
1.ª categoria
2.ª categoria
3.ª categoria
Campeão
SLB
Campeão
SLB
Campeão
SLB
1934/35
Sporting CP
2.º
Sporting CP
3.º
Sporting CP
5.º
1935/36
Sporting CP
2.º
SL Benfica
SL Benfica
1936/37
Sporting CP
2.º
CF "Os Belenenses"
2.º
Carcavelinhos FC
4.º
1937/38
Sporting CP
2.º
Sporting CP
3.º
SL Benfica
1938/39
Sporting CP
3.º
SL Benfica
SL Benfica
1939/40
SL Benfica
Sporting CP
2.º
SL Benfica
1940/41
Sporting CP
2.º
SL Benfica
Sporting CP
2.º
1941/42
Sporting CP
2.º
Sporting CP
2.º
SL Benfica
1942/43
Sporting CP
2.º
SL Benfica
SL Benfica
1943/44
CF "Os Belenenses"
2.º
CF "Os Belenenses"
2.º
SL Benfica
1944/45
Sporting CP
2.º
SL Benfica
SL Benfica
1945/46
CF "Os Belenenses"
4.º
CF "Os Belenenses"
6.º
Sporting CP
2.º
1946/47
Sporting CP
2.º
CF "Os Belenenses"
3.º
SL Benfica
TOTAIS
1 em 13
8 %
5 em 13
38 %
9 em 13
69 %

NOTAS: A partir de 1934/35 os campeonatos passam a ter nova designação: 1.ª categoria/Honra, 1.ª categoria/Reserva, 2.ª categoria; Em 1946/47 os clubes deixaram de se apurar para os campeonatos nacionais da I Divisão e II Divisão através dos respectivos campeonatos regionais

As duas últimas grandes conquistas do CF "Os Belenenses"
E1959/60 depois de afastar o FC Porto na meia-final, derrotou por 2-1, o Sporting CP que afastara o Benfica na chamada "Meia-final dos Quatro Grandes". A última grade equipa (a nível nacional) do clube, com: José Pereira; João Rosendo, Francisco Pires e Raúl Moreira; Vicente, António Carvalho, "Tonho" e Manuel Castro; "Iaúca", "Matateu" e Estevão Mansidão. Treinador: Otto Glória.


E1988/89 depois de vencer, por 2-1, o "Glorioso" com um golo impossível de Juanico (2-1) e outro de Chico Faria (1-0) a afastar Mozer no meio-campo e correr desalmado para a baliza de Silvino. De nada valeu o golo do empate, por Vata. A equipa do CF "Os Belenenses": Jorge Martins; José António (cap.), Álvaro Teixeira (aos 89', Carlos Ribeiro), Sobrinho, Baidek e José Mário; Juanico; Macaé e Adão; Chiquinho Conde e Chico Faria (aos 64', Saavedra). Treinador: Marinho Peres.



Espero que o Benfica frente a estes clubes com jogos com tanta história mantenha sempre a camisola vermelha e o calção branco. Este já foi vermelho em jogos frente ao CF "Os Belenenses" e Vitória FC Setúbal, pelo menos. Mas devia ser evitado! Então o "Manto Sagrado" vermelho Benfica é intocável. Respeitar histórias centenárias de tantos-e-tantos jogos em condições tão diferentes, mas afinal sempre a continuação do jogo inicial...


Que o «Clube da Cruz de Cristo» honre as suas cores!

Alberto Miguéns

NOTA FINAL1: Segundo um leitor deste blogue (Gary Quintal) estudioso do futebol madeirense, já se realizaram 621 CD Nacional frente ao CS Marítimo e 502 CD Nacional frente ao CF União. O total de jogos entre o CS Marítimo e o CF União ascenderão a mais de cinco centenas;  

NOTA FINAL2: Eu tenho contabilizados 425 "Dérbis de Lisboa", 330 "Clássicos de Lisboa" e 286 "Clássicos de Portugal". Depois tenho ainda os seguintes valores que podem "pecar por defeito": 319 jogos entre o Sporting CP e o CF "Os Belenenses" e 274 entre o Sporting CP e o FC Porto;

NOTA FINAL3: Como gosto de comparar a minha informação com a que está disponível na internet deparei-me com uma mentira grave. Para enaltecer Pepe o o CF "Os Belenenses" não é necessário rebaixar o SL Benfica. O SLB NUNCA esteve a vencer, por 4-1, CF "Os Belenenses" na estreia de Pepe. O jogo foi muito disputado e o Benfica conseguiu chegar a uma vantagem de dois golos (4-2) mas nunca de três golos. Não podendo provar hoje essa informação conto fazê-lo brevemente. Pelos meus apontamentos o marcador funcionou do seguinte modo: 1-0, 1-1, 2-1, 2-2, 3-2, 4-2, 4-3, 4-4 e 4-5. O "Record" e o zerozero estão a inventar. O Diário de Lisboa (única possibilidade que tive ontem de validar a minha informação) não é esclarecedor.

(clicar em cima da imagem para visualizar com mais qualidade)


(clicar para o portal zerozero)
(clicar para a página do Diário de Lisboa)
3 comentários
comentários
  1. Não tinha uma noção tão rigorosa de como o SLB não foi assim tão afectado - pelo menos numa primeira fase - pela cisão Belenense. Presumo que o facto de o SLB ainda ter em força a componente Casapiana foi importante. Depois, no final da época seguinte é que seria mais complicado.

    Para lá de fundador, Artur José Pereira no CFB terá assim feito sentir mais a sua influência como treinador e recrutador de talentos. Fica no entanto claro que o factor Pepe foi fundamental. Como teria sido se não tem morrido tão novo?

    É pena que o CFB tenha rejeitado as suas cores originais. Eu, em criança habituei-me ao azul Belenense e ao calção branco mas devia ser como no primeiro dia: calção preto. Foram essas as cores propostas pelo grande Henrique Costa, uma dedicação Benfiquista que lamentavelmente não conseguiu evitar a cisão.

    Excelente artigo com muitos mais ângulos de análise possível e muita e rigorosa informação. Artigo à Miguéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado

      O prestigio do Artur José Pereira agregava vontades e permitiu não deixar implodir o clube que se formara com um propósito de se tornar em pouco tempo um dos melhores de Portugal.

      Só que a primeira equipa (1919/20) era muito veterana.

      Em 1919/20 o CFB só conseguiu inscrever dois plantéis na AFL

      1.ª categoria vence a 2.ª série com três clubes ficando o SLB em 2.º lugar. O Regulamento previa uma fase final com os dois primeiros de cada série. Nessa Fase Final o CF "Os Belenenses" e o Benfica terminam em 1.º lugar ex-aequo. Recorreu-se a uma final a duas mãos: D 1-2; D 0-2; O Benfica é campeão regional e o CF "Os Belenenses" classifica-se em 2.º lugar;
      2.ª categoria (desastrada) com o último lugar( 8 J e 8 D com 0/11 em golos na 1.º série
      ganha pelo Benfica.
      3.ª categoria: entre os onze clubes não se inscrevem;
      4.ª categoria: entre os dez clubes não se inscrevem

      Em 1920/21 inscrevem 3 equipas nas 4 categorias.

      1.ª categoria: 3.º lugar na fase final
      2.º categoria: 4.º lugar na 1.ª série conquistada pelo Benfica;
      3.ª categoria: 3.º lugar na 2.ª série ganha pelo Benfica
      4.ª categoria: entre os 13 clubes não se inscrevem


      Em 1921/22 inscrevem 4 equipas nas 4 categorias.

      1.ª categoria: Jogam o campeonato da II Divisão (vencem) e no jogo para apurar o campeão regional frente ao vencedor da I Divisão perdem com o SCP por 0-2;
      2.º categoria: Jogam na II Divisão e classificam-se em 3.º lugar. Eliminados;
      3.ª categoria: Jogam o campeonato da II Divisão (vencem) e no jogo para apurar o campeão regional frente ao vencedor da I Divisão perdem com o SLB por 0-2;
      4.ª categoria: Jogam na II Divisão e classificam-se em 3.º lugar. Eliminados

      Em 1922/23 inscrevem 4 equipas nas 4 categorias.

      1.ª categoria: Jogam na I Divisão 2.º lugar no campeonato com cinco clubes;
      2.º categoria: Jogam na I Divisão 1.º lugar no campeonato com cinco clubes. Vencem por 1-0 e 2-1 o Casa Pia (campeão da II Divisão) e sagram-se campeões regionais;
      3.ª categoria: Jogam na I Divisão 3.º lugar no campeonato com cinco clubes;
      4.ª categoria: Jogam na I Divisão 2.º lugar no campeonato com cinco clubes.


      Em 1923/24 inscrevem 4 equipas nas 4 categorias.

      1.ª categoria: Jogam na I Divisão 4.º lugar no campeonato com cinco clubes;
      2.º categoria: Jogam na I Divisão 2.º lugar no campeonato com cinco clubes;
      3.ª categoria: Jogam na I Divisão 4.º lugar no campeonato com cinco clubes;
      4.ª categoria: Jogam na I Divisão 1.º lugar no campeonato com cinco clubes. Vencem por 4-1 o Caarcavelinhos FC (campeão da II Divisão) e sagram-se campeões regionais;


      Em 1924/25 inscrevem 4 equipas nas 4 categorias.

      1.ª categoria: Jogam na I Divisão 2.º lugar no campeonato com cinco clubes;
      2.º categoria: Jogam na I Divisão 3.º lugar no campeonato com cinco clubes;
      3.ª categoria: Jogam na I Divisão 1.º lugar no campeonato com quatro clubes.Perdem por 1-2 com o Império LC (campeão da II Divisão) e classificam-se em 2.º lugar;
      4.ª categoria: Jogam na I Divisão 2.º lugar no campeonato com quatro clubes

      Em 1925/26 inscrevem 4 equipas nas 4 categorias. O Regulamento criou uma Divisão única.

      1.ª categoria: 1.º lugar no campeonato com sete clubes. Sagram-se Campeões Regionais;
      2.º categoria: 4.º lugar no campeonato com sete clubes;
      3.ª categoria: 2.º lugar no campeonato com sete clubes;
      4.ª categoria: 6.º lugar no campeonato com sete clubes

      O CF "Os Belenenses" teve muito que penar.

      1. Augusto da Silva deve ter sido a primeira concessão a integrar um não belenense num clube que foi fundado para só utilizar "prata da casa".

      2. Pepe começou a jogar na 4.ª categoria em 1924/25. Depois na 3.ª e 2.ª em 1925/26. Terminou esta temporada na 1.ª categoria fazendo os últimos 4 jogos do Regional (sagrando-se campeão regional aos 18 anos) e os 4 do Campeonato Regional derrotado pelo CS Marítimo (D 0-2).

      TRIgloriosas Saudações

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  2. Tão cedo não se vai voltar a ver os calções brancos do Glorioso contra os calções brancos de Belém, por via de em Portugal ao contrario de alguns países, se cumprir à risca a regra da FIFA que impede que ambos os clubes tenham a mesma peça de roupa com a mesma cor, mesmo que a camisola seja de cor diferente.
    Anteriormente, só se aplicava a regra dos equipamentos alternativos às camisolas. As equipas não podiam ter a mesma cor nas suas camisolas, exceptuando o branco.
    Porque já houve jogos em que o Glorioso jogou contra equipas que equipavam à Leixões e usava o alternativo que era branco, hoje em dia, com as novas regras, ja nem branco poderia usar.
    Tudo isto para dizer que infelizmente quando houver o Benfica-Belenenses ou um Belenenses-Benfica, vai haver um Benfica todo de vermelho (calções inclusive) ou um Belenenses todo de azul (calções inclusive).
    Desde que não façam como ja fizeram em que por preguiça do departamento de equipamentos do Glorioso em pedir à marca que veste o nosso clube uns calçoes vermelhos para se usar com a camisola principal na impossibilidade de usar os calções brancos, usavam os calções do alternativo (que era preto).

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail